Argentina aprova direito da mulher de optar pelo aborto

47

A promessa de permitir que mulheres decidissem sobre seus corpos em segurança foi uma bandeira da campanha de Alberto Fernández, que deverá chancelar a decisão do Congresso.

O Senado da Argentina aprovou, após uma sessão que durou 12 horas, o direito da mulher de optar pela interrupção da gravidez até a 14ª semana de gestação. A decisão teve 38 votos a favor e 29 contra, e uma abstenção.

O procedimento era permitido apenas em caso de estupro ou risco de morte da mãe. Com a decisão, a Argentina se junta a outros países da América Latina que já autorizam o procedimento. Os países são Cuba, Guiana, Guiana Francesa, Uruguai, Porto Rico e, no México, como a legislação é regional, na Cidade do México e no estado de Oaxaca.

O projeto, na Argentina, foi derrotado no Senado há dois anos, na gestão de Maurício Macri, por pequena diferença. A promessa de permitir que mulheres decidissem sobre seus corpos em segurança foi uma bandeira da campanha de Alberto Fernández, que deverá chancelar a decisão do Congresso.

“O aborto seguro, legal e gratuito é lei. Hoje somos uma sociedade melhor, que amplia direitos às mulheres e garante a saúde pública”, tuitou Fernández.

Cristina Kirchner, ex-presidente e atual vice de Alberto Fernández, comandou a sessão no Senado. Cada parlamentar falou de 10 a 15 minutos, o que fez com que a votação ocorresse somente no fim da madrugada.

No dia 11, a Câmara de Deputados aprovou a proposta.

FONTE:GGN
FOTO: REPRODUÇÃO