Das 25 capitais brasileiras com eleição, apenas uma será comandada por mulher

8

Entre eleitos, 18 brancos e nenhum indígena. Dos sete prefeitos negros, três se declaravam brancos na última eleição

Após o encerramento das eleições, com o fim do segundo turno, neste domingo (29), ficou evidente que o prefeito eleito para as capitais brasileiras é um homem branco. Das 25 capitais – Macapá ainda fará sua eleição, por conta da crise energética –, somente uma mulher foi eleita prefeita e apenas sete negros, todos homens, venceram o pleito.

Cinthia Ribeiro (PSDB), que venceu em Palmas (TO), ainda no primeiro turno, será a única prefeita de capital. Dessa forma, se repete o resultado de 2016, quando Teresa Surita (MDB), eleita prefeita de Boa Vista (RO), foi a única mulher eleita em uma capital do país.

No segundo turno, cinco mulheres foram derrotadas: Socorro Neri (PSB), em Rio Branco (AC); Cristiane Lopes (PP), em Porto Velho (RO); Marília Arraes (PT), em Recife (PE); e Manuela D’Ávilla (PCdoB), em Porto Alegre (RS).

Entre os sete prefeitos negros eleitos, três se declararam brancos na última eleição e mudaram para pardo em 2020, Tião Bocalom (PP), que se elegeu à Prefeitura de Rio Branco (AC); Edvaldo Nogueira (PDT), eleito em Aracajú (SE); e David Almeida (Avante), em Manaus (AM).

Os outros quatro negros eleitos para comandar capitais são: João Henrique Caldas (PSB), em Maceió (AL); Cícero Lucena (PP), em João Pessoa (PB); João Pessoa Leal (MDB), em Teresina (PI); e Arthur Henrique (MDB), em Boa Vista (RO).

Partidos

O MDB saiu como vitorioso no mapa das capitais com a eleição de 5 prefeitos. Logo atrás, está o PSDB, com 4 candidatos eleitos. A lista é completada por DEM (3), PDT (3), PSB (2), PP (2), PSD (2), Podemos (1), PSOL (1), Avante (1) e Republicanos (1).

FONTE: BRASIL DE FATO
FOTO: Fábio Pozzebom/Agência Brasil