Dieese mostra perda salarial para 60% das categorias

12

Recessão e pandemia prejudicam as negociações salariais da maioria das categorias profissionais. É o que mostra o “Boletim de Olho nas Negociações”, do Dieese. Segundo o órgão técnico, 60% dos reajustes de abril ficaram abaixo da inflação de 6,94%, pelo INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor). Na Agência Sindical

Acima do índice inflacionário ficaram 17% dos acordos; e iguais, 23%.

Para José Silvestre Prado, diretor-adjunto do Dieese, o resultado reflete a crise econômica agravada pela pandemia do coronavírus e a alta inflação. “É uma conjuntura extremamente adversa”, afirma.

Categorias com data-base em maio precisariam de reajuste de 7,59% — inflação pelo INPC — pra recompor o poder de compra dos salários.

Setores
O pior desempenho está nos serviços, cujos acordos indicam 71,7% abaixo da inflação, entre janeiro e abril deste ano. Já as negociações do comércio são as que registram maior percentual de reajustes iguais ou superiores à inflação.

Segundo o Dieese, em abril do ano passado, ocorreram 30,9% negociações acima da inflação. Naquele mês, 31,4% empataram e 37,6% perderam. Agora, a perda — em 60% — mostra que a situação piorou.

Sindicatos
Silvestre destaca a importância da atuação sindical, seja com ações para reverter esse cenário, seja atuando nas negociações salariais.

Ele diz: “Sem dúvida quanto maior a organização dos trabalhadores fortalecendo seus sindicatos, o resultado tende a ser melhor”.

Fonte: Diap