Penúltimo ciclo de pagamentos do auxílio emergencial começou neste domingo (22)

13

Governo federal não apresentou proposta de continuidade de benefício para a população impactada pela pandemia

O quinto e penúltimo ciclo de pagamentos do auxílio emergencial para pessoas não inscritas no Bolsa Família começou neste domingo (22). Até 12 de dezembro serão depositadas parcelas de R$ 600 ou de R$ 300, dependendo de quando o beneficiário teve o cadastro aprovado.

O domingo (22) foi reservado para aniversariantes de janeiro. Nesta segunda-feira (23) é a vez dos nascidos em fevereiro. Para quem está inscrito no Bolsa Família, o pagamento segue o calendário do próprio programa.


São 3,1 milhões de beneficiários / Arte: Caixa Econômica

Por enquanto, o dinheiro só fica disponível para transações digitais, como pagamentos, por meio do aplicativo Caixa Tem. A partir do dia 19 de dezembro, o valor será liberado para saques e transferências para os nascidos em janeiro e fevereiro.


Liberação de saques deste quinto ciclo vai adentrar o ano de 2021 / Arte: Caixa Econômica

A parcela recebida neste domingo depende de quando o beneficiário começou a receber o auxílio. No máximo é possível chegar a nove parcelas, sendo cinco de R$ 600 e quatro de R$ 300. Por exemplo, quem recebeu a primeira parcela em abril, quando o programa foi lançado, conseguirá as nove parcelas no fim do programa, ou seja, no sexto ciclo de pagamentos. Mas quem teve a primeira em maio, terá direito a oito parcelas, e, assim, sucessivamente. 

Descontinuidade  

Apesar dos indicativos de permanência da pandemia de coronavírus e uma tendência ao aumento de novas contaminações, o governo federal não cogitou a possibilidade de continuidade das parcelas para 2021. Além disso, falta definição sobre a estruturação do programa Bolsa Família para o próximo ano

O Ministério da Cidadania apresentou um plano de R$ 34 bilhões para o Bolsa Família em 2021. O valor está no patamar do que foi utilizado em 2014, época em que o país tinha uma taxa de desemprego de 4,8% da população, contra 14,4% no trimestre encerrado em agosto deste ano. 

FONTE: BRASIL DE FATO
FOTO: Reprodução