Solidariedade: Conheça a Cozinha Popular do bairro Bela Vista, em Fortaleza

6

A iniciativa é uma parceria entre MTD e as pastorais sociais, em especial a Pastoral da Criança

O bairro da Bela Vista, na cidade de Fortaleza, conta agora com uma Cozinha Popular que, de acordo com Bruna Raquel, militante do Movimento das Trabalhadoras e Trabalhadores por direitos (MTD) é fruto das ações de solidariedade das iniciativas populares. Bruna é moradora do bairro e é uma das voluntárias da cozinha. Para ela, a solidariedade é uma pauta que une a movimentos populares e pastorais sociais da Igreja católica. A iniciativa é uma parceria entre MTD e as pastorais sociais, em especial a Pastoral da Criança.

Para o MTD, a pauta da solidariedade se tornou central durante a pandemia. “A gente veio desenvolvendo ações de solidariedade durante todo o ano que se passou de pandemia e a gente identificou que o número de doações vinha caindo e a situação de fome vinha aumentando. As pessoas vinham com menos condições de fazer as alimentações diárias”, afirma Bruna.

Bruna aponta que as organizações que estão à frente da iniciativa vêm percebendo que o número de pessoas em situação de fome aumentou porque o auxílio foi praticamente tirado da maioria da população, então, para elas, se tivesse um auxílio emergencial, não teria tanta gente em situação de fome. O MTD Ceará, em uma postagem em seu perfil no Instagram, afirma que “cozinhas populares têm sido uma saída coletiva para enfrentar a fome que assola diversas comunidades no Brasil”.

Funcionamento

A cozinha está localizada na rua Lilian Abreu, 200 e vai funcionar com doações de alimentos e com trabalho voluntário de diversas formas: cozinhando, arrecadando alimentos, cortando verduras, na limpeza, lavando panelas, entre outros serviços que contribuam para o funcionamento da iniciativa.

Haverá um dia dedicado à arrecadação de alimentos perecíveis e não-perecíveis que, segundo a Bruna, é chamado de “Sexta-feira de balanço”. Essa arrecadação acontecerá às sextas-feiras, já o preparo e distribuições das refeições serão realizadas aos domingos. Pela manhã, a partir das 7h, será o horário de preparo dessas refeições, a distribuição acontecerá a partir das 12h, se estendendo até as 14h. “A gente pretende fazer 2.500 refeições por mês. Para ajudar no funcionamento da cozinha tem diversas formas: você ser voluntário se disponibilizando para vir para a cozinha, cortar verdura, lavar panela, sendo voluntário em arrecadação, fazer a arrecadação no seu prédio, no seu condomínio, com seus vizinhos, com seus amigos e trazer na sexta-feira para a cozinha”, explica Bruna. 

“Espaço de afeto”

“Temos uma percepção desse espaço de cozinha como um espaço de afeto. A cozinha é aquele espaço da casa que todo mundo quer estar e a gente quer construir também essa cozinha comunitária como esse espaço, um espaço que a gente vai para respirar juntos, para pensar alternativas de enfrentamento de combate à fome, para ser esse espaço organizativo também, de questionamento”, afirma Bruna. Ela explica que há a uma expectativa muito. “É povo cozinhando para o povo”. Bruna também afirma que “a cozinha popular é uma iniciativa coletiva, comunitária, é esse espaço também de combate à fome, de denúncia desse desgoverno”.

Como ajudar?

As pessoas podem fazer doações via pix ce.mtdireitos@gmail.com, ou doações de alimentos e se voluntariando para várias funções na cozinha. Para mais informações basta entrar em contato pelo whatsapp (85) 98729-3250 ou pelo perfil no Instagram do MTD Ceará: @mtd.ceara

Fonte: Brasil de Fato