Ato no Dia Internacional Contra Discriminação Racial pediu vacina e auxílio de R$ 600

46

Organizações celebraram data entoando “grito de resistência contra o racismo e a política genocida do governo federal”

Além da construção de uma “consciência internacional contra o racismo”, o ato reforça a necessidade de vacinação gratuita contra a covid-19 pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e auxílio emergencial de R$ 600 até o fim da pandemia. 

“Parem de nos matar! Vidas negras importam! Fora Bolsonaro genocida!”, diz a convocatória, ressaltando que são as negras e negros que mais têm sofrido com as crises econômica, política, social e sanitária no país, além de terem os maiores índices de contaminação e morte por covid-19.

O governo Bolsonaro anunciou a retomada do auxílio emergencial, mas com valores e alcance inferiores ao de 2020.

O Brasil registrou mais de 292,7 mil mortes por coronavírus até o momento, e menos de 5% da população foi vacinada.

História

O Dia Internacional Contra a Discriminação Racial faz parte do calendário da Organização das Nações Unidas (ONU) e homenageia as vítimas do Massacre de Shaperville, ocorrido em Johanesburgo, na África do Sul, em 1960.

Naquela data, o exército sul-africano matou 69 pessoas e feriu outras 186 durante um protesto pacífico contra a Lei do Passe, que restringia os locais onde pessoas negras podiam circular durante o regime do Apartheid (1948-1994).

Confira abaixo a lista de organizações que participaram da mobilização do 21M no Brasil:

Partido dos Trabalhadores (PT);  Partido Comunista do Brasil (PCdoB); Partido Socialismo e Liberdade (PSOL);  Central Única dos Trabalhadores (CUT); Central dos Trabalhadores do Brasil (CTB); Convergência Negra; União de Negras e Negros pela Igualdade (UNEGRO); Movimento Negro Unificado (MNU); Quilombação Rede Antirracista; Rede Amazônia Negra; Marcha Mundial das Mulheres; Levante Popular da Juventude; Frente Internacional Brasileira Contra o Golpe e Pela Democracia; Ato Mundial STOP Bolsonaro; Núcleo Rosa Egípciaca; Frente Brasil Popular; União Nacional LGBT (UNA); Movimento Fé e Política/MG; Consulta Popular; Mulheres Unidas Contra o Bolsonaro; Negritude Socialista Brasileira do PSB; Agentes da Pastoral Negra; Centro Nacional de Africanidade e Resistência Afro-Brasileira; União Brasileira de Mulheres; Coordenação Nacional de Entidades Negras; Instituto Coordenação Negras e Negros de Goiás;  Comissão Brasileira de Justiça e Paz; Unidade Popular (UP).

FONTE: BRASIL DE FATO
FOTO:  Getty Images