Desconstruindo preconceitos: o papel do Serviço Social na luta contra o racismo estrutural no Brasil.

109

A estrutura social do Brasil é marcada por duas dinâmicas que têm raízes antigas e fazem parte das relações sócio-históricas da nossa nação: o racismo e o colorismo.

Esses fenômenos aparecem em vários níveis, desde a autoidentificação até a discriminação racial e também na maneira como as instituições perpetuam preconceitos e reproduzem ações que remetem à colonização e escravidão, bem como mantêm estereótipos e aprofundam desigualdades.

E essa questão vai além: instituições muitas vezes não reconhecem o racismo como estrutural, falhando em adotar medidas reais para mudar isso por meio de políticas públicas.

É neste contexto que o Serviço Social está inserido. Assistentes Sociais desempenham um papel fundamental no processo de transformação social, especialmente na batalha contra o racismo estrutural. Nossa atuação vai além das fronteiras convencionais, buscando desconstruir os alicerces que perpetuam as diferentes manifestações da questão social e que geram a desigualdade em nosso país.

Em nossa formação profissional, ao compreendermos as raízes profundas do racismo, devemos estar comprometidos/as em promover mudanças significativas. Nosso objetivo é descortinar o imediatismo do cotidiano, compreendendo o que está por trás deste contexto que marginaliza e oprime aqueles que historicamente tiveram seus direitos negados. E essa é uma luta constante por um futuro mais justo e equitativo para todos/as.

No Sasec, seguimos firmes em busca de inclusão, justiça social e valorização da diversidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here