GREVE GERAL: 14 DE JUNHO PODE SER UM MARCO NA LUTA PELOS DIRETOS TRABALHISTAS NO BRASIL

63

Assistentes sociais marcam presença em luta nacional em defesa da educação e contra a reforma trabalhista

Nesta sexta-feira 14 de junho, a partir das 10h30min, tem início na Praça da Bandeira, a greve geral contra a Reforma da Previdência.  A diretoria do Sindicato dos Assistentes Sociais do Estado do Ceará (Sasec) vai estar presente e convoca a categoria a aderir ao movimento que acontece em todo país.

O movimento está sendo convocado por sindicatos, federações, confederações, centrais e diversas entidades do movimento social, muitas delas ligados as Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo.

Segundo dados dos organizadores, quinze capitais e 170 cidades já confirmaram realização de movimentos e que a expectativa é que a paralização no setor dos transportes, importante para a adesão das categorias a greve, seja maior do que em 2017. Outras categorias como bancários, professores, metalúrgicos, trabalhadores da Educação, trabalhadores da saúde, de água e esgoto, dos Correios, da Justiça Federal, químicos, rurais, portuários, agricultores familiares, motoristas, cobradores, caminhoneiros, eletricitários, urbanitários, vigilantes, servidores públicos, petroleiros e previdenciários também confirmaram presença, segundo dados do  Brasil de Fato.

Além disto, os recentes fatos políticos e escândalos nacionais, somados a bandeiras com a defesa da educação e a força mostrada pelas entidades em seus atos e reuniões demostra, que a greve desta sexta-feira, pode ser o maior movimento em defesa do país e da classe trabalhadora construída nos últimos tempos.

Motivo principal para a greve ter sido desencadeada, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 6, foi enviada pelo governo ao Congresso, e estabelece, na prática, o fim da aposentadoria, ao retirar da Constituição Federal  regras que garantem o acesso ao direito e instituindo o regime de capitalização de interesse do sistema financeiro.

O governo alega a existência de um rombo na previdência e um combate a privilégios, porém, especialistas negam que exista esse rombo e as entidades alertam que os principais atingidos pela reforma são mulheres, trabalhadores rurais e setores da sociedade mais fragilizados nas relações de trabalho.

SERVIÇO:

ASSISTENTES SOCIAIS NA GREVE GERAL

14 DE JUNHO DE 2019

PRAÇA DA BANDEIRA

10H30MIN

NO ATO USE A HASTAG #AssistentesSociaisNa GreveGeral   E MARQUE PRESENÇA DA SUA CATEGORIA

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here